LandmarketingMadiaMM

Zoom, uma das marcas da coronacrise

0

Nos últimos 180 dias, o simpático e competente criador do Zoom, vem somando alguns bilhões de dólares, no valor de mercado de sua empresa.

Só nos últimos 60 dias, e enquanto parcela expressiva de ações das demais empresas derretiam nas bolsas de todo o mundo, as ações da plataforma Zoom subiram 50%. Antes da pandemia, a Zoom valia US$ 29 bi. Hoje, US$ 44 bi, a caminho dos US$ 50.

Eric Yuan tem uma boa história para contar sobre sua ideia de criar o Zoom. No ano de 1987, Eric vivia com uma querida namorada na cidade de Shandong, com quem mais tarde acabou se casando e tem hoje três filhos. 10 horas de trem para visitar a namorada.

Pensou, se eu tivesse um aplicativo que possibilitasse comunicar-me a distância sem precisar da viagem… 24 anos depois, no ano de 2011, decidiu colocar a ideia em pé.

Antes da pandemia sua plataforma Zoom tinha 10 milhões de usuários. No final de março, um mês de pandemia, 200 milhões; no final de abril, 300 milhões… E não parou de crescer até hoje…

Na relação dos bilionários de Forbes, Eric Yuan agora ocupa um lugar de destaque. Declarou à revista Forbes, “Levei 34 anos desde ter a ideia e mais 9 para colocá-la em pé, para fazer sucesso da noite para o dia…”, da noite para o dia em todos os países as pessoas descobriram que precisavam de uma ferramenta como o Zoom… E, a partir de então e até agora, Zooommmmmmm…”.

Yuan nasceu na região leste da China, na província de Shandong. Filho de engenheiros especializados em mineração, tentou entrar por oito vezes nos Estados Unidos, mas teve o visto negado. Fez mestrado na China, trabalhou no Japão, e motivou-se depois de ouvir, presencialmente, uma palestra de Bill Gates.

Chegou à Califórnia em 1997, com 27 anos, e só falando duas dúzias de palavras em inglês. Trabalhou para a Cisco, e, no ano de 2011, apresentou o projeto do hoje Zoom para a empresa que não se interessou. Ouviu, “esquece, não tem futuro, esse lugar já está ocupado pelo Skype…”.

Pediu demissão, já era VP de engenharia da Cisco, e decidiu correr atrás do sonho. Recorreu ao financiamento de amigos, da família, e finalmente conseguiu sensibilizar outros investidores.

O resto da história todos vocês estão acompanhando, e, quase todos os dias, nós, recorrendo ao Zoom para todas as reuniões de trabalho a distância…

Assim, e pela força das circunstâncias, mas com total merecimento, Zoom, uma das marcas que vicejou, prosperou e se consagrou nesta terrível coronacrise.

Zoom, uma das marcas da crise. Talvez, a grande marca da crise. Depois, bem depois é depois; mas, durante, mais que brilhou.

Foi Zooommmmmmmm!!! Sem Parar!

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Diário de um Consultor de Empresas – 03/02/2021

Post anterior

Octavio, o que tinha tudo para ser, mas acabou não sendo

Próximo post