Sears entra com pedido de recuperação judicial

Rede de lojas de departamento acumulou uma dívida de mais de 130 milhões de dólares ao longo dos anos

A Sears, rede pioneira no processo de construção de lojas de departamento, está prestes a fechar as portas. A loja de departamentos apresentou nesta segunda-feira (15), um pedido de recuperação judicial que fechará 142 lojas. O pedido foi feito para reorganizar as dívidas das controladoras Sears, Roebuck e Kmart, após muitas tentativas frustradas de seu atual CEO, Eddie Lampert, em evitar o fim da empresa.

A varejista centenária que já dominou os shoppings dos Estados Unidos, batendo de frente com rivais como a Target, o Walmart e a Best Buy, também teve filiais no Brasil entre os anos 60 e 80, e perdeu força nos últimos anos devido ao aumento compras pela internet.

A estratégia de Lampert seria a de encontrar um acordo que preserve os seus acionistas dentro de uma eventual reestruturação, estando à procura de financiamento que trouxesse fundos para permitir a operação da empresa durante o processo de falência.

A companhia, que tem cerca de 70 mil funcionários, não tem lucro desde 2011, e críticos dizem que Lampert deixou as lojas se deteriorarem ao longo dos anos, mesmo comprando as ações da empresa e emprestando dinheiro, fazendo dele o maior acionista e credor. A Sears atualmente carrega uma dívida de 134 milhões de dólares.

Sob o plano de recuperação, o papel executivo de Lampert será assumido por um comitê de três pessoas, embora ele permaneça como presidente do conselho. Mohsin Meghji, diretor administrativo da empresa de consultoria corporativa M-III Partners, foi nomeado diretor de reestruturação.

 

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo: