Red Bull Music Festival volta a São Paulo para festival de música de 10 dias

Evento ocorre de 23 de novembro a 2 de dezembro na capital paulista e ainda terá no line-up outros nomes internacionais inéditos no Brasil, como J. Albert e Rezzett

O Red Bull Music Festival realiza sua segunda edição em São Paulo, de 23 de novembro a 2 de dezembro, com uma programação que apresenta performances ao vivo, festas e palestras. Os primeiros nomes do line-up celebram o que há de melhor na música de ontem, de hoje e do futuro, no Brasil e no mundo.

Os primeiros artistas internacionais confirmados tocam pela primeira vez no Brasil. Na nova edição do Zonas Limiares, uma celebração de mais de 12 horas embalada por música eletrônica que ocorre do dia 1o/12, há nomes como o clássico DJ de Chicago Jamal Moss, que usa o codinome Hieroglyphic Being e promete revelar sua pesquisa musical de mais de duas décadas em techno, house e jazz, além de gente que está renovando a cena eletrônica mundial, como Or:la, Avalon Emerson e Rezzett. Entre os brasileiros, revelações da cena paulistana, como o grupo Teto Preto e a DJ e produtora BadSista, também marcam presença.

Or:la no Red Bull Music Festival. Foto: Divulgaçao

A cultura do sound system estará no #RBMSP em 2018. A noite Concreto Som Sistema, marcada para o dia 24/11, trará alguns dos principais sistemas de som do país, responsáveis por espalhar, nas periferias e centros de grandes cidades como São Paulo, ritmos como reggae, dub e música jamaicana em geral. No evento, performam um dos coletivos mais famosos do estilo, o Dubversão Sistema de Som, e a rainha do dancehall brasileiro, Lei di Dai.

Dubversão Sistema de Som no Red Bull Music Festival. Foto: Divulgação

Outra atração é a mulher mais poderosa da música brasileira hoje, Elza Soares, que divulgou recentemente seu 81olançamento fonográfico –o disco “Deus é Mulher”–, e fará uma performance especial dele no dia 28/11, com repertório faixa a faixa, comentando suas impressões sobre as músicas de forma intimista na Casa Natura Musical. O grupo de percussão afro Ilú Obá de Min faz parte do concerto ao lado da diva. Além do show, Elza também participará de uma conversa com o público na segunda-feira, dia 26/11, no Red Bull Station, na qual falará sobre suas seis décadas de carreira sob uma ótica afro-futurista.

Elza Soares no Red Bull Music Festival. Foto: Divulgação

O Red Bull Station, no centro de São Paulo, será o ponto central, mas o festival também irá desvendar locações únicas na cidade, que serão totalmente reconfiguradas para a ocasião. Um deles é a fábrica Orion, entre os bairros Brás e Belém, prédio construído numa área de 15 mil metros quadrados onde funcionou por mais de sete décadas uma indústria de pentes e botões, tornando-se depois a maior empresa de artefatos de borracha da América Latina (o espaço receberá os eventos Zona Limiares e Concreto Som Sistema).

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo: