Quem é essa TCL?

Ainda é dos bons hábitos e melhor educação os new commers pedirem licença, declinarem suas credenciais, e apresentarem-se.

Lembra, “ô de casa, posso entrar…”.

Que tal, Bom Dia, estou chegando agora, invadindo o espaço de vocês, mas conto com a paciência e compreensão de todos. Sou uma empresa de origem chinesa, que fabrica equipamentos eletrônicos, já conhecida em outros mercados. Gostaria muito de poder me apresentar, claro se vocês me derem licença e concordarem…

A grande pergunta sobre as publicidades referentes à fatídica Copa da Rússia é, quem era a tal da TCL que fabrica e vende televisores, e que tem em Neymar seu garoto propaganda?

Quando os primeiros comerciais apareceram nas telonas e telinhas, fui conversar com duas dúzias de pessoas e sempre perguntando, “vocês sabem que raio de fabricante de televisor é esse que contratou o Neymar como garoto propaganda?

E que assina TCL”?

2/3 respondeu tratar-se de uma nova marca da Samsung, dois ou três de uma nova marca da LG, e ninguém soube responder corretamente.

Aí decidi entrar no site que aparece num dos anúncios e lá se encontra a explicação. “Em julho de 2016, a Semp reescreve sua história, com a multinacional chinesa TCL Corporation adquirindo 40% das ações da Semp. Inicia-se aqui uma nova Joint Venture, agora com o gigante chinês, que é o terceiro maior fabricante de televisores do mundo e o quinto maior fabricante mundial de painéis de LCD, passando a empresa a chamar-se Semp TCL e a oferecer ao mercado brasileiro três grandes marcas: Semp, TCL e Toshiba.”

Pensei comigo, Semp quase todos conhecem; Toshiba outros tantos também, mas, optaram pela inusitada, desconhecida e não explicada TCL…

Que custava ter começado pelo começo?

Que custava ter pedido licença e se apresentado?

Que custava contar a narrativa, a história, os fundamentos, propósito, mais missão, valores e compromissos. Porra, que custava dizer Bom Dia!

Isso posto, mais uma marca que chega com problemas. Problemas, e sem solução. TCL é a denominação da empresa e assim continuará.

Mas, se possível fosse, e aqui a lição e aprendizado, todas as vezes que se escolhe ou decide batizar uma empresa ou produto com consoantes, sempre recomendável evitar-se as consoantes que faladas convertem-se em duas silabas, claro, no português, tipo, ELE, EFE, AGA, EME, ENE… Muito provavelmente, em algum momento, as pessoas tenderão a falar, no caso da TCELE, TCLÊ. Lembram, como acontecia com a FNM. FENEMÊ.

Mas definitivamente, e se a marca global é essa, vai pagar esse penalty no Brasil. Agora, o que é imperdoável, erro crasso e festival de mediocridade, é chegar sem pedir licença, sem se apresentar, sem dizer Bom Dia!

Em 2018, indesculpável, inaceitável, patético!

 

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo: