Tecnologia

Com quarentena, consumo de internet fixa aumenta e causa lentidão

0

Após início da quarentena provocada pela pandemia do coronavírus no país, operadoras de telefonia registraram um aumento médio de 40% no tráfego de internet banda larga fixa de sua rede.

Vivo, Claro, TIM e Oi passaram a atender mais clientes em casa ao logo do dia e verificaram picos de consumo até 15% maiores. Os picos, normalmente, só ocorrem pela manhã, quando as pessoas estão saindo de casa, e à noite, quando retornam. A preocupação é que atinjam pico entre 150% e 200%, o que provocaria a falência da rede.

Para tentar conter problemas que podem ocorrer por conta desses picos, governadores de pelo menos cinco estados (SP, RJ, BA, AM e GO) e do Distrito Federal solicitaram às operadoras conexões mais potentes e exclusivas para que a rede pública e privada de ensino possa restabelecer o ritmo de aulas por meio de videoconferências.

Consumo normal

Geralmente, ao longo do dia, as conexões fixas residenciais operam com uma média de 80% de ociosidade quando pais e filhos estão no trabalho e na escola, respectivamente. Desde o início da quarentena (16), essas redes passaram a operar em sua capacidade plena e com picos de consumo cerca de 15% maiores.

De acordo com os técnicos das companhias, ainda é cedo para avaliar se teremos um crescimento explosivo de dados consumindo muita capacidade da rede, mas se seguirmos o padrão da Itália, será preciso tomar medidas de precaução.

Na última quarta-feira (18), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou um projeto que obriga as operadoras a fornecerem gratuitamente acesso a aplicativos, sites e serviços de streaming até o final do estado de calamidade.

Para eles, esse tipo de iniciativa quebra a rede porque promove um crescimento exponencial do consumo de vídeos, já que tudo passa a ser gratuito.

Precaução

A medida foi tomada após o aumento do consumo da internet brasileira, uma consequência do isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus e que tem deixado muitas pessoas em suas residências. Medidas semelhantes já vinham acontecendo em outros lugares.

Na Europa, países como Alemanha e Reino Unido aumentaram entre 10% a 20% seu consumo de internet. Isso fez com que a Netflix e o YouTube parassem de transmitir em alta definição nesses locais para não sobrecarregar o sistema.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Startups começam a contratar à distância

Post anterior

Autônomos tentam manter negócios apesar de restrições de quarentena

Próximo post