Artigos

Por que a contratação de um arquiteto é primordial para o sucesso das construções

0

Por Renata Marques*

Em boa parte do País a contratação de arquitetos para planejar as construções de imóveis ainda é considerada algo supérfluo, um luxo para poucos empreendimentos.

O que as pessoas geralmente não levam em consideração é o fato de que o trabalho deste tipo de profissional agrega muito mais que a viabilidade técnica da obra e sua adequação a todas as normas e leis do país, estado e município. Com a projeto  em mãos, o proprietário do imóvel tem uma espécie de “manual” de execução da obra  que serve como diretriz para alinhar desde a contratação de empreiteiros e fornecedores, até o andamento do trabalho do mestre de obras e demais funcionários.

O arquiteto orienta, planeja e projeta de acordo com a situação do terreno. Para desenvolvimento de projeto não há regras, mas sim uma adequação das necessidades de cada cliente considerando os aspectos legais e situacionais da área disponível. O planejamento de um imóvel está na definição da dimensão e disposição dos cômodos, instalações e outros componentes pelo terreno para um melhor aproveitamento do espaço. E, com a consultoria profissional, é possível prever como será a utilização e o aproveitamento daquele ambiente pelos futuros moradores.

Outra vantagem de ter contratar um arquiteto é ter o  projeto  como garantia, ou seja um documento de contratação e referência de construção que prevê, entre outras coisas, a definição dos materiais que devem ser utilizados para cada ambiente, auxilia na compra de materiais, entre outras vantagens.

O arquiteto é mais que um profissional técnico, ele busca primeiro compreender o estilo de vida do cliente e demais moradores, suas aspirações, objetivos de vida, para depois planejar o imóvel, de acordo com as necessidades específicas de cada família ou comunidade.

Esta avaliação é importante não só para não só dentro dos parâmetros do momento de vida atual dele, como também prever as mudanças para o futuro, como ele estará vivendo daqui a dez anos ou mais. Se terá uma família maior, se pretende receber para festas e outras comemorações, esse estudo é fundamental para que o imóvel mantenha uma vida útil e funcional, satisfazendo a todas as necessidades de seus moradores a longo prazo.

O projeto de um casal que more sozinho, mas que para o futuro pretenda ter filhos, deve prever ambientes flexíveis, que possam ser facilmente transformados para abrigar um quarto de bebê, por exemplo.

Até mesmo os planos de expansão, em casos de casas, dos imóveis devem ser pensados no momento da concepção da projeto, para que as condições mínimas já sejam pré-estabelecidas, facilitando reformas e ampliações. Uma casa térrea que um dia venha a ter um segundo andar precisa ter previsão estrutural para futura ampliação para comportar outros pisos.

Enfim, a contratação de um arquiteto minimiza custos a curto e longo prazo, além de ser a garantia de um imóvel regularizado, construído dentro das normas técnicas e de segurança.

*Renata Marques é arquiteta, com larga experiência em gerenciamento de projetos para grandes incorporadoras e no desenvolvimento de projetos arquitetônicos residenciais e comerciais. www.renatamarques.com.br

 

PSN – Para Não Se esquecer

Post anterior

Ajuste fiscal sem mudança da meta de superávit primário

Próximo post