LandmarketingMadiaMM

Os novos atravessadores

0

Como vocês, mais velhos, devem se lembrar, passamos a vida ouvindo falar mal dos tais “atravessadores”, ou, intermediários.

Segundo a imprensa disseminava, e de certa forma o povão reverberava, eles eram os responsáveis pela “carestia”. Hoje atravessador e intermediário mudou de nome, chama-se APP, isso mesmo, aplicativo, e é considerado uma dádiva dos deuses. Vem jogando todos os preços para baixo…

Quando eram as pessoas que atravessavam, bandidos e criminosos, já aplicativos… Independente de pessoas ou aplicativos assim segue a vida. E assim continuará por mais e muitos anos. Com todos os preços, em maior ou menor intensidade e dimensão, despencando.

Lembram-se do livro premonitório e essencial de Jeremy Rifkin, “Sociedade de Custo Marginal Zero”? Era exatamente sobre isso que Jeremy alertava a todos. O impacto da tecnologia na vida e nos negócios. Jogando todos os preços para baixo. O desafio, e como estamos constatando agora, é que antes da tecnologia derrubar todos os preços, começa pelos empregos.

Reduzindo substancialmente os empregos e provocando no curto e médio prazo uma crise social de grandes dimensões. Daí a necessidade urgente dos chamados colchões sociais para atenuar o empobrecimento provisório de parcela substancial de pessoas, até que a nova economia ganhe forma e todos voltemos a prosperar.

Um exemplo de queda espetacular nos preços. Uma pequena matéria no Estadão falando sobre um aplicativo, Voll, ainda cheirando a tinta, de 2018, que cria uma plataforma de transporte corporativo.

E a qual já aderiram muitas e grandes empresas como Pepsico, Heineken, Telefônica, Claro, Tim, McDonalds, Vivo, Sodexo, Souza Cruz, e já conta com mais de 100 mil usuários.

E o que faz o Voll. É um atravessador do passado. Integra dezenas de aplicativos de transportes, faz as comparações, e diz, para cada usuário, qual a melhor alternativa de uso para aquele trecho específico.

Faz com os aplicativos, o mesmo que os aplicativos fizeram com os táxis e taxistas, lembram, o ditado popular, “quem com ferro fere com ferro será ferido”. Os pagamentos são feitos pelo aplicativo, e o Voll garante uma economia de até 30% para as empresas.

É isso, amigos. Começou. Ou, segunda geração de atravessadores… Já que Ubers e 99 formaram a 1ª geração… Atravessador passou a ser queridinho e mudou de nome, APP. Estávamos errados antes, ou estamos errados agora? Nem um nem outro, tempos mudam, conceitos e entendimentos evoluem. Aconteceu…

Objetivamente o que está acontecendo? Que os taxistas e motoristas de aplicativos testemunham, atônitos, dia após dia, seus ganhos serem reduzidos. Um segundo e brutal avanço em suas hoje minguadas margens… Se é que ainda existem… Tipo segunda onda da pandemia de disrupção… Na primeira das duas consequências que Rifkin nos advertia.

Antes, ou à medida que os preços despencam e as economias vão acontecendo, o desemprego e ganhos e remunerações mergulham de cabeça para baixo. Mas adiante vai atenuar e depois melhora. Mas, e por enquanto, é o que temos para este e próximos anos. No popular, ferro sobre ferro… Será que deveríamos comemorar tanto?

Lembram da história do artista de circo e sua aranha adestrada? Que gritava “pula, salta, dança”, e a aranha pulava, saltava e dançava. Para tornar tudo mais difícil decidiu cortar uma das pernas da aranha. E mesmo assim, mancando, a aranha continuou obedecendo as ordens. Mesmo com uma única perna desempenhava. Até que o domador decidiu cortar a última. Gritava, urrava e a aranha não saia do lugar.

Desculpando-se e olhando para a plateia, disse, “Acabo de concluir que aranhas sem pernas ficam surdas…”.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

200 em 20

Post anterior

Diário de um Consultor de Empresas – 27/05/2021

Próximo post