LandmarketingMadiaMM

Olímpia, Serendipismo e Epifania

0

A vida de todos nós sujeita-se e expõe-se, permanente, feliz ou não e inexoravelmente, a serendipismos, e, epifanias.

Serendipismo é quando você escorrega numa casca de banana e cai bem em frente à lotérica. Diz um palavrão, manda, mentalmente, o irresponsável que jogou a casca ao pior dos lugares, e paga o mico. Depois de se levantar recobra a razão e acredita tratar-se de um sinal. Entra na casa lotérica, compra um bilhete e ganha. Isso é serendipismo. Já o ganhar é uma epifania, um acontecimento, festa, felicidade, celebração!

As circunstâncias levam você a protagonizar o que jamais planejou. E, ao fazer, tudo dá certo e você vive uma epifania.

Sonia Teixeira, querida sócia do MMM, que cuida do capital humano nosso e de nossos clientes, responsável através da Madia Business School pelo Programa Matrix, nasceu na cidade de Olímpia.

Quando saiu de Olímpia, anos 1970, a cidade registrava próximo de 40 mil habitantes. Quase 50 anos depois continua por aí. Um pouco mais. Arredondando, 54 mil habitantes.

Mas, no mês de janeiro agora, só em janeiro, recebeu 500 mil visitantes, e no correr do ano, receberia mais de 2 milhões não fosse a pandemia. Quase a metade de turistas que recebem a cidade do Rio de Janeiro – turismo de passeio, e São Paulo – turismo de negócio.

Foi assim. Um dia a Petrobras encasquetou que sob o solo da cidade existia petróleo. Errado! Depois da perfuração tudo o que encontrou foi água quente. Água a 38 graus. Como a Petrobras é Petrobras E Não Águabras deu as costas, fechou o buraco e foi perfurar em outra freguesia.

Onde a Petrobras viu água quente, outros empreendedores enxergaram ouro. E viveram uma espécie de serendipismo e celebraram uma epifania. Transformaram água não em petróleo, em ouro, em dinheiro, mesmo. Monetizaram a água.

Em 1987, aquela água quente que não interessava a quem procurava petróleo converteu-se nos Thermas dos Laranjais. O resto é história.

2 milhões de visitantes por ano. Em 1987, zero leitos para hóspedes. 2010, 3 mil leitos. 2020, 25 mil leitos. 2025, e já em construção, 35 mil leitos. 6 resorts, 22 hotéis, 55 pousadas, 2 hotéis-fazenda. Quase 1.000 casas para temporada.

É possível converter água quente em ouro. Se for bem quente…

Serendipismo e epifania, de mãos dadas sempre. Precisa acreditar e perseverar. E ficar de olhos abertos, lembram-se do cavalo selado oportunidade que passa poucas vezes diante de nós?

Se não tivermos atentos e nos revelarmos sensíveis, só nos restará o que nos recomendou Milton Berle… “Se a oportunidade não bater, construa uma porta…”.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Diário de um Consultor de Empresas – 26/08/2020

Post anterior

Pagando para vender

Próximo post