LandmarketingMadiaMM

O mundo das latinhas… E das cápsulas, também…

0

O mundo das latinhas decola entre a 1ª e 2ª Grande Guerra.

Depois de 300 anos de pesquisa, a American Can Company chegou a tal da latinha. Não obstante todas as pesquisas, latinha pronta e aprovada, mas ainda prevalecia a lei seca. E, assim, a primeira cerveja em lata chega ao mercado no ano de 1935. A Krueger Beer…

No Brasil demorou algumas décadas a mais. E decola via Skol, 1971, uma lata meia boca em que o esmalte de dentro misturava com o líquido e produzia uma gororoba. Que teve que ser recolhida. Mais adiante, tudo se resolveu e as latas decolaram pra valer, passaram a ser de alumínio, e preparam-se agora para invadir outros e novos territórios.

Os fabricantes das latinhas fazem-se presentes e representados por diferentes associações. Talvez, a mais importante seja a Abralatas. E que metrifica e divulga os dados do business das latinhas. 2019 fechou com 29,6 bilhões latas vendidas no Brasil, faturamento de R$ 14,3 bilhões, 142 latas por ano para cada brasileiro, e um exército de 800 mil catadores de latinhas pelo País, possibilitando um dos grandes feitos do negócio de latas em todo o mundo: um índice de reciclagem da ordem de 97%. E vem mais lata pelo caminho.

Hoje, e do total de latas produzidas e envazadas com bebidas, o domínio é o das cervejas, 84% (70% do total de cerveja vendida no Brasil é em lata). Refrigerantes, 10,7%. E os restantes 5,3% com diferentes produtos, e onde os fabricantes de lata concentram neste momento sua maior atenção.

Tentando sensibilizar produtores e convencer consumidores que outras bebidas são igualmente “boas para latas” como vinho, água, e diferentes tipos de mixes… E esses deverão ser os próximos capítulos da história do mundo das latas. No Brasil, e, também, na maioria dos países.

Isso posto, qual o caminho do business de todas as bebidas daqui para frente? Gradativamente, ir migrando do caminho longo e pesado da solução atual, para duas alternativas.

Primeira, a solução cápsula, e onde as bebidas, ‒ boa parte delas ‒, passam a ser produzidas nas casas e empresas, em porções individuais, através de cápsulas. E a segunda, onde todas as demais embalagens vão abrindo espaço para o prevalecimento das latas. Nas duas alternativas, o mundo alivia-se de seu maior desafio. O peso para o transporte das embalagens atuais.

É isso, amigos. Em direção a um novo mundo no qual 80% das bebidas virão encapsuladas, para o preparo em casa ou nas empresas, ou, enlatadas, para consumo imediato.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Diário de um Consultor de Empresas – 12/05/2021

Post anterior

Espasmos da coronacrise, ou, uma espécie de “pra tudo se acabar na quarta-feira…”

Próximo post