Netflix e a universalização cultural

Vez por outra, no passado, assistíamos a um filme que se referia ao comportamento e cultura de um determinado país e ficávamos encantados. Nos meses seguintes, comentávamos sobre o filme, íamos atrás de mais informações tendo que recorrer as boas, velhas e surradas enciclopédias, e meses depois os registros iam apagando-se em nossas memórias.

Isso aconteceu quando assistimos Zorba O Grego, O Rei e Eu, Cantando na Chuva, Viva Zapata, Dr. Jivago… E outros e muito mais.

As décadas se passaram, fomos saltando das fitas VHS para o Blu-ray, e hoje desembocamos no streaming, e que tem na Netflix o melhor e mais consistente exemplo. Num primeiro momento, a nova plataforma procurou colocar à disposição de seus assinantes o melhor dos conteúdos existentes. Mas, e em paralelo, e acreditando que ser apenas uma grande videoteca da produção já existente não seria suficiente, começou a produzir séries nos Estados Unidos sobre diferentes temas; e, num segundo momento estendeu essa iniciativa para outros países.

Ou seja, não se aposentou e muito menos se acomodou no sucesso. É incansável e exemplar na permanente inovação. E assim e hoje produz séries em diferentes países, séries essas que são colocadas à disposição de todos os assinantes de todos os países, e que, gradativamente, convertem-se, talvez, no mais importante mecanismo atual de disseminação cultural. Uma espécie de indutor de uma cultura universal a partir das diferentes culturas de diferentes países.

Mecanismo esse, que por sinal tem na série Mecanismo, uma ficção baseada na realidade e que trata com incomum qualidade, consistência e relevância, da Operação Lava Jato, um ótimo exemplo. A série dirigida pelo mais importante cineasta brasileiro da atualidade, José Padilha, e baseada no livro de Valdimir Netto, está à disposição de todos os assinantes da Netflix em 190 países!

Assim como outras produções que levam para esses países nuances, particularidades e condimentos da cultura brasileira. Simultaneamente a Netflix produz séries no México, Colômbia, Argentina, Espanha e outros países…

E assim, gradativamente, de capítulo em capítulo, e com o objetivo de se viabilizar e se manter viável, a Netflix, da histórica e fundamental série O Mecanismo, criou um mecanismo que agora traz uma contribuição única e inestimável na formação e consolidação de uma cultura universal, através do entendimento e compreensão das individualidades e características dos diferentes países. Simplesmente sensacional!

Não conheço outro exemplo de manifestação que desempenhe semelhante missão com total qualidade e maior eficácia. Não se trata e apenas de assistir mais uma série. Trata-se de ir gradativamente assimilando comportamentos e valores de outras culturas.

FRANCISCO MADIA, especial para o MMM.

 

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo: