Museu de Imagens do Inconsciente lança campanha com Maria Bethânia

Artistas, como a cantora Maria Bethânia e a atriz Glória Pires, participam da ação de crowdfunding para arrecadar fundos para a entidade do Rio de Janeiro

Pinturas, esculturas, desenhos. O acervo do Museu de Imagens do Inconsciente reúne mais de 400 mil obras produzidas pelos frequentadores de seus ateliês terapêuticos. Para preservar este patrimônio de arte e cultura, considerado o maior acervo do gênero no mundo, o museu está lançando uma campanha de financiamento coletivo com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

O projeto do Museu de Imagens do Inconsciente foi selecionado na primeira etapa do edital Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural. O objetivo da campanha é arrecadar fundos para a primeira etapa de reforma e ampliação dos espaços do museu. Para cada R$ 1 contribuído pelo público, o banco contribui com mais R$2. A campanha precisa arrecadar R$ 80 mil nas redes sociais até o dia 12 de novembro, para alcançar o total de R$ 240 mil que financiará o projeto.

Para divulgar a iniciativa, artistas como a cantora Maria Bethânia e a atriz Glória Pires (que interpretou no cinema a psiquiatra Nise da Silveira) se engajaram na campanha de arrecadação para a reforma do museu e gravaram vídeos para serem divulgados nas redes sociais e na mídia digital. Para contribuir é necessário acessar a plataforma de captação online no link.

Confira o vídeo abaixo:

Após esta primeira fase, as próximas etapas de modernização e expansão do museu incluem a ampliação dos ateliês de arte e dos espaços expositivos, biblioteca, área de lazer, loja, cafeteria e a criação de um parque em seu entorno para atender a população da Zona Norte do Rio de Janeiro: um pólo de cultura e lazer impactando diretamente 180 mil moradores da região.

“Esse projeto é vital para a preservação e ampliação desse trabalho considerado um patrimônio da humanidade”, diz Eurípedes Junior, museólogo e vice-presidente da Sociedade Amigos do MII. Ele acrescenta ainda que 128 mil obras são tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e o arquivo pessoal da Dra. Nise recebeu o Registro Mundial do Programa Memória do Mundo da UNESCO.

Esses títulos foram pleiteados pela SAMII, que está completando 45 anos de existência dedicados à realização de projetos e ações voltados para a preservação e divulgação do trabalho no MII. Como reconhecimento dessa trajetória, a Sociedade vai receber o Prêmio Nise da Silveira de Boas Práticas em Saúde Mental, oferecido pela Câmara dos Deputados.

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo: