Itaú mostra o poder transformador da música em aquecimento para o Rock in Rio

Criada pela Africa, série “Eu busco as diferenças” conta a história de pessoas que se encontraram por meio da música; o 1º episódio tem Tabatha Aquino, artista que viralizou na internet cantando no metrô carioca

O Itaú, patrocinador máster do Rock in Rio 2019, acredita que a música tem o poder de transformar e aproximar as pessoas, abraçando as diferenças de cada um. Para mostrar como isso acontece na vida real, o banco começa a se aquecer para o festival lançando a série ” Eu busco as diferenças”: três minidocumentários sobre pessoas que, usando a música, viram nas diferenças e adversidades uma forma de se encontrarem. A criação é da agência Africa e as histórias serão publicadas nas redes sociais do Itaú, além de exibidas no canal Multishow ao longo deste mês.

A estreia fica por conta de Tabatha Aquino, artista que cantava em transportes e espaços públicos para se expressar e ganhou fama quando um vídeo seu cantando no metrô do Rio de Janeiro viralizou na internet. Carioca, 22 anos, mulher negra, mãe e cantora: para Tabatha, a música sempre a consolou e a abraçou ao longo das dificuldades enfrentadas em sua vida. E seu talento e insistência a recompensaram. Após ter sido descoberta, ela assinou um contrato com uma grande gravadora.

Confira o primeiro episódio:

“Eu saía para a rua para cantar para os outros esperando me encontrar”, diz a cantora no minidoc. “Eu buscava a minha cura, e com isso, eu levava cura também”.

Leia também: Rock in Rio Sessions marca contagem regressiva para o festival.

A música transformou a vida de Tabatha, que divide sua história de vida com quem a estiver ouvindo, mas também promove a união entre as pessoas, independente da origem, gênero, idade, religião, gostos e afins. Essas histórias serão contadas em mais dois episódios da série, que serão publicados ainda no mês de agosto.

“Nossa história com o Rock in Rio é marcada pela crença de que a música transforma e aproxima as pessoas. Com essas histórias reais, queremos valorizar as pessoas que abraçaram o poder transformador da música, e acima de tudo celebrar as diferenças. A história de Thabata e as outras que ainda iremos contar são exemplos concretos de como os encontros podem mudar vidas, algo que vamos explorar durante o festival em 2019”, diz Eduardo Tracanella, diretor de Marketing do Itaú Unibanco.

“Em um mundo onde se coloca cada vez mais as pessoas em caixinhas, a música existe para nos lembrar que, sem as diferenças, não só ela não existiria, como tampouco a graça e o colorido da vida”, comenta Sophie Schonburg, ECD da agência Africa.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo: