CriatividadeNegócio

Iniciativa “Adote um Comércio” é lançada com objetivo de estimular o consumo na vizinhança

0

Como consequência do agravamento da crise do Covid-19 no Brasil, os micro e pequenos estabelecimentos comerciais foram muito afetados. Afinal, grande parte deles conta com o movimento do dia-a-dia para sobreviver e, tendo em vista a quarentena, teve seu fluxo de clientes subitamente interrompido. Foi pensando nesse cenário desafiador que Gustavo Cury, CEO da Superare, desenvolveu a campanha “Adote um Comércio”.

“Desenvolvemos in house a ferramenta, que é gratuita, com intuito de reunir os micro e pequenos comércios na web, de forma que os clientes possam consultar produtos e serviços disponíveis em um raio de até 5km de distância. A ideia é pedir delivery, pronta entrega ou até mesmo se locomover até o estabelecimento a pé. Os entregadores, por sua vez, também podem chegar até os clientes com facilidade. Portanto, o propósito consiste em fazer a economia girar dentro do próprio bairro”, explica Cury.

O cadastro na plataforma é simples, rápido e seguro, pois exige, apenas, o nome do comércio, seus contatos e algumas imagens. O usuário, ao entrar no site, clica em ‘ver estabelecimentos’ e tem acesso imediato aos comércios já cadastrados e que estejam localizados nas proximidades. A iniciativa permite ainda que parceiros se juntem ao time para apoiar esses empresários.

A tecnologia de geolocalização da ferramenta permite que a ideia se espalhe por todo Brasil e até mesmo pelo mundo. Como não se sabe, ao certo, quando a pandemia terá seu fim, trata-se de uma boa oportunidade para introduzir esse setor da economia no ambiente online de maneira organizada e com perspectiva de longo prazo. A cultura de consumo na vizinhança também tende a se intensificar, a partir de uma mudança de mindset que a própria humanidade está enfrentando como decorrência da transformação de vida imposta pelo Covid-19.

Em pesquisa recente divulgada pela fintech BizCapital, cerca de 30% de um universo de mil micro e pequenos empresários, cujo faturamento anual corresponde a até R$ 4,8 milhões, já perdeu entre 80% e 100% de seu faturamento na segunda quinzena de março. Outro terço teve suas receitas reduzidas entre 40% e 80%. Isso revela que mais da metade dos entrevistados teve seu faturamento reduzido pela metade. “Muitas tendências vivenciadas nessa pandemia chegaram para ficar e isso é fantástico. A tecnologia é, sem dúvida alguma, uma das principais aliadas nesse sentido”, finaliza o idealizador da campanha, Gustavo Cury.

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

O Monstro

Post anterior

Campanha da Youse comemora um novo jeito de consumir

Próximo post