Influenciadores Digitais – derrubando as últimas resistências

As pessoas assistiam os comerciais. Interessavam-se. Iam às lojas. Permaneciam estáticas. Às vezes pegavam nas mãos. Corriam os olhos. Liam as instruções. Permaneciam tentadas. Devolviam o produto à gôndola. Iam embora.

No caminho pensavam, deveria ter comprado… Preciso criar mais coragem. Onde se encontrava o problema. Num buraco na comunicação. Na derradeira linha.

O produto perfeito, a distribuição perfeita, idem embalagem, idem comunicação, tudo idem e do melhor. Mas, faltava o derradeiro empurrãozinho e que poderia se traduzido pela certeza e confiança de comprar porque saberia como usar.

E aí surgiram as figuras dos Influenciadores Digitais. Influenciam, sim, e porque conquistaram a confiança de seus seguidores. Por demonstrarem-se capazes de usar, de aplicarem-se, os produtos que recomendam. Especialistas e autoridades sobre o que falam e promovem.

Assim, e consumada a compra, e analisado todo o percurso, constata-se que a intervenção dos influenciadores foi decisiva. Muito menos por supostamente serem influenciadores por natureza. Mas, e 99%, por terem demonstrado o domínio de uso sobre o que estavam recomendando. Mais que influenciadores, especialistas e autoridades.

O nome influenciador pegou, ficou e assim será. Mas, e muito mais e antes que influenciadores são treinadores e mestres sobre determinados produtos e serviços. “Personal trainers” de alguma coisa. E se apresentam, se revelam, se vestem, se maquiam, falam e sorriem, de tal forma que o conteúdo que transmitem cresce em confiança, tenha credibilidade.

O nome errado, para uma função da qual as empresas estavam mais que carentes. Aqueles que dão o empurrãozinho final e decisivo e eliminam as últimas dúvidas. Jamais confundir com os youtubers. Hoje meio milhão de jovens brasileiros. 99% tão inconsequentes, irreverentes, irresponsáveis, e até mesmo muitos tóxicos, como a maioria costuma ser nessa idade. E 1% interessante com os quais tudo o que se deve fazer é divertir-se e ponto.

Assim, a alternativa “Influenciadores”, como mídia de reforço e empurrão final, é mais que relevante. Nesses que pelo profissionalismo, disciplina e conhecimento fazem por merecer a confiança de seus seguidores pela autoridade que têm e são. Nesses, vale a pena investir.

FRANCISCO MADIA, especial para o MMM.