Hotéis X Agências Web

Na primeira contenda formal entre hotéis e agências da web, apartada pelo Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – chegou-se a um acordo que em tese favorece os hotéis. Mas e que, na prática, não é bem assim…

A partir do acordo, os Hotéis voltam a ter a opção de praticar menores preços nos contatos diretos com seus clientes. Em seus canais de venda off-line, nos contatos por telefone, e em balcões de reserva.

A cláusula de paridade, assinada entre os hotéis e as agências web (leia-se Decolar, Booking Expedia…) continua valendo para o ambiente digital, ou seja, nenhum dos hotéis poderá promover em seus sites e portais preços menores do que os oferecidos pelas agências web.

Na relação relativamente nova que se estabeleceu entre as redes hoteleiras, os hotéis independentes e as agências web, os contratos preveem comissionamento por venda realizada através das agências web.

A comissão varia em função do destaque que é dado ao hotel no site das agências. Varia de 13% a 30%. E a expectativa dos hotéis é que neste ano de 2018, o número de hospedes captados via agências bata ou supere os 20% do total das ocupações.

Vale o registro como uma primeira contenda formal e que bate às portas do Cade. Mas, na prática, a tendência é cada vez mais as pessoas recorrerem aos portais das agências web pela componente organização e especialização.

Quando alguém ingressa num portal de um hotel é aquele hotel e ponto. Quando ingressa no portal de uma agência web diz quando e para onde vai viajar, quantos dias pretende ficar, o que precisa, e o quanto se dispõe a pagar. Em segundos, dezenas de alternativas adequadas às suas expectativas e manifestações aparecem na tela.

Ou seja, difícil, praticamente impossível para os hotéis competirem. Tudo o que têm que fazer é desenvolver mecanismos para ficar mais próximos daqueles que se hospedem no hotel pela primeira vez. E permanecer junto deles, de forma relevante, sedutora, encantadora e memorável, para que e naturalmente manifestem sua preferência na próxima viagem. Assim, e para primeiras experiências, os hotéis perderam a batalha.

Para segundas, terceiras e quartas poderão ganhar e de goleada. Desde que saibam como fazer. Que se preparem adequadamente para superar e em muito as melhores das expectativas com que os hóspedes de uma primeira vez fizeram o check-in ao ingressar no hotel.

E que ao fazerem o check-out, partam com um sorriso escancarado no rosto, e a vontade e determinação de voltar àquele mesmo hotel em todas as próximas viagens. E isso, as agências web jamais conseguirão.

Mas, dá trabalho, exige disciplina e comprometimento, e, acima de tudo sensibilidade e preparo.