Cultura

Grupo Cultura do Guetto transforma vidas através da inclusão social e cultural

0
O Grupo Cultura do Guetto, companhia artística localizada em Belo Horizonte (MG), apresenta uma importante ferramente de inclusão social e cultural na formação de Danças Urbanas. Criado em 2006 por Gladstone Navarro, o Cultura do Guetto nasceu na Zona Leste da capital mineira e desde a sua fundação, tem como o objetivo principal garantir o acesso de cidadãos e cidadãs ao desenvolvimento e formação em danças urbanas, trabalhando simultaneamente educação e formação humana e promovendo a inserção e o bem estar de grupos minoritários e excluídos.

O Grupo, que ao longo dos 14 anos de atuação, realizou a criação de mais de 30 obras coreográficas, profissionalizando cerca de 100 jovens se em diversas áreas artísticas, tem participação considerável no cenário e mercado de Belo Horizonte. Por este motivo, o Cultura do Guetto é considerado uma porta de entrada para o meio da dança na capital mineira, além de ser referência na difusão da cultura das danças urbanas no estado e no país.

Tudo foi feito utilizando espaços públicos, como praças e escolas de ensino regular, até chegar na consolidação da própria sede, localizada na região Noroeste da capital. Em 2019, o Grupo Cultura do Guetto recebeu duas premiações importantes: Prêmio Leda Maria Martins de Artes Cênicas com o espetáculo “EXIT” e Prêmio de Honra ao Mérito, destinado a integrantes do Movimento Hip Hop, em Belo Horizonte.

Atividades de capacitação e qualificação em Danças Urbanas

Para organizar a estrutura de seus integrantes e atuação, o Grupo Cultura do Guetto está estruturado  em 4 eixos. Cada eixo é direcionado para uma atividade, como desenvolvimento, atualização e aperfeiçoamento na formação em danças urbanas, sendo eles:

Eixo CDG F.O.R.C.E (33 integrantes)

O eixo do grupo que atua na formação em Danças Urbanas utilizando as linguagens: Hip Hop Dance, House Dance, Dancehall e Floorworks, onde também emprega a dança como ferramenta educacional e social, ou seja, além de trabalhar a formação em Danças Urbanas, possui cunho inclusivo, igualitário e educacional, atendendo em sua grande maioria, pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Eixo Grupo de competição (24 integrantes)

Responsável por levar trabalhos coreográficos do Grupo aos palcos de festivais competitivos. O eixo já conquistou mais de 30 primeiros lugares em festivais em todo o Brasil, além de três prêmios especiais de melhor coreografia no Festival Internacional de Hip Hop e três primeiros lugares conquistados nos anos de 2018 e 2019 no Festival de dança Joinville, maior festival de dança do mundo segundo o Guinness Book.

Eixo CDG Freestyle (10 integrantes)

Tem como finalidade o desenvolvimento no campo da improvisação (Hip-Hop Freestyle). Em seu conteúdo programático, além de contemplar várias áreas do Hip-Hop Freestyle, aborda o desenvolvimento de cada participante utilizando 4 elementos: fundamento, musicalidade, flow e criatividade. Como parte do processo de finalização de cada ciclo, os(as) integrantes do grupo desenvolvem trabalhos de conclusão.

Eixo Grupo artístico (8 integrantes)

É o segmento profissional e tem como objetivo principal a criação, concepção e apresentação de trabalhos autorais em Danças Urbanas. O eixo surgiu a partir de reflexões sobre novas possibilidades de trabalho para os(as) integrantes e desenvolvimento profissional dos trabalhos coreográficos, com a perspectiva de extrapolar o campo dos festivais competitivos e ocupar novos espaços com trabalhos de grande porte;

Cerca de 900 pessoas já passaram pelo grupo. Infelizmente, por falta de apoio financeiro, muitos tiveram que abandoar o Grupo ao longo dos anos, embora declarassem abertamente o amor à dança. 

Além do valor do aluguel e das contas básicas para funcionamento das atividades – pagos por rateio por integrantes-, fica por conta de cada integrante arcar com despesas de transporte e alimentação. “O impacto gerado por todos esses gastos vai diretamente de encontro à continuidade dessas pessoas nas atividades oferecidas”, declara Gladstone.

Histórias

Ao longo dos anos, o Cultura do Guetto se confunde com uma verdadeira família. Para Camila Regina, integrante do Grupo desde 2018, a palavra que define o significado da iniciativa é gratidão. Entrei no Cultura do Guetto através do Gladstone, além da admiração e respeito que tenho por ele, o vejo como inspiração como pessoa e como mentor”. O incentivo recebido no Grupo é peça-chave para que o projeto continue vivo, diz a dançarina: “Tive muitas dificuldades por motivos familiares, psicológicos e financeiros. As pessoas que fazem parte do Grupo me ensinaram a ser forte, a ter o amor pela vida de novo, retomar a esperança de ser alguém melhor e mais forte. Costumo dizer que o Grupo Cultura do guetto é minha vida, um presente de Deus, é um grupo de guerreiros. Tudo o que fazemos é movido por força de vontade”.

Para manter o grupo ativo, os próprios integrantes fazem movimentações para garantir a receita do Cultura do Guetto. “Trabalhamos em semáforos, vendendo bombons para arrecadar dinheiro e arcar com gastos de viagens para competições, além do aluguel e gastos mensais fixos”, aponta Camila.

Lives

Aproveitando a oportunidade de mostrar ex-integrantes que marcaram a história, o Cultura do Guetto está promovendo lives com participação de dançarinos que passaram pelo Grupo. Nesta segunda-feira (20), acontecerá uma live com a professora e dançarina Bianca Souza e o fundador da Game Over Crew, Rodrigo Cisco. A live será transmitida no perfil do Instagram do Cultura do Guetto, às 19h:

Expectativas 2020/2021

    1. Ampliar as atividades de formação ofertadas gratuitamente, viabilizar e garantir a inclusão de crianças nas práticas artísticas e de educação através das aulas gratuitas de Street Dance, Ballet e Circo;
    2. Realizar a cobertura dos gastos para dois profissionais que atuam na gestão executiva e parte pedagógica do projeto, a fim de assessorar os procedimentos administrativos e operacionais nas diversas etapas de realização da proposta que está sendo apresentada;
    3. Garantir a remuneração dos 04 (quatro) professores e professoras que são integrantes do Grupo Cultura do Guetto que vão atuar de forma direta na formação educacional das crianças atendidas.
Incentivos financeiros
As atividades de formação do Cultura do Guetto são ofertadas gratuitamente, entretanto, o Grupo precisa garantir que dançarinos(as) continuem engajados(as) na formação artística e humana. Para isso, foi criado um financiamento coletivo que visa promover essas garantias aos integrantes da companhia.  O link para doações pode ser acessado clicando aqui, se você deseja contribuir para que o Grupo Cultura do Guetto continue ofertando e ampliando as atividades de formação, não deixe de doar!

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Diário de um Consultor de Empresas – 18, 19 e 20/07/2020

Post anterior

Circle Aceleradora lança podcast

Próximo post