CotidianoCriatividadeIniciativa

Projeto #EscutaARua mostra recados de moradores de rua na quarentena

0

Se você já furou ou pensou em furar a quarentena porque não aguenta mais ficar em casa, lembre-se de três coisas importantes: essa medida é necessária para que você não precise ficar assim por mais tempo, não é somente sobre você, mas sobre todos e principalmente, reconheça o seu privilégio em ter uma casa segura onde se abrigar durante a pandemia.

Sabemos como é difícil ficar confinado em casa, sem poder caminhar ao ar livre, fazer as atividades cotidianas e ver aqueles que amamos. Muita gente anda escapando da quarentena por esses motivos. Em contrapartida, muitas pessoas estão sofrendo por não terem nem uma casa para ficar neste momento: os moradores de rua.

#FiqueEmCasa: “Se eu tivesse uma, é o que faria”.

Neusi Maria Freitas

Pensando nisso, um movimento chamado #EscutaARua foi criado para mostrar opiniões e recados de pessoas em situação de rua sobre como é viver a pandemia sem ter uma casa como abrigo.

O projeto #EscutaARua surgiu em parceria com a ONG Novos Sonhos, que atua com pessoas da Cracolândia de São Paulo. Segundo a ONG, são distribuídas mais de 1.500 marmitas todos os dias.

A ação tem como proposta dar voz às pessoas que não têm para onde ir durante a pandemia, contando o que pensam sobre o isolamento social, sobre as pessoas que têm casa e não usufruem deste privilégio, entre outros assuntos relativos à quarentena. Todas as imagens estão disponíveis no perfil do Instagram do projeto.

O objetivo da campanha é arrecadar doações e chamar a atenção para o fato de existirem muitas pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social no Brasil. E que, se a situação está difícil para muitos que possuem uma casa, para quem sobrevive na rua situação é bem mais difícil e perigosa.

Se você quiser contribuir com o projeto, faça sua doação clicando aqui.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

 

Gabriela Prioli e Quem disse, Berenice? fazem uma reflexão sobre beleza e autoestima

Post anterior

Bumble descreve as realidades de relacionamentos durante a quarentena

Próximo post