LandmarketingMadiaMM

Cosplay World

0

Isabella, adorada netinha, dos netos, a primeira que chegou, quando completou dois ou três anos os pais Vanessa e Fabio decidiram contratar as princesas para animar a festa. Lá se vão mais de 10 anos. Não sabia, mas contrataram COS.

Se a festa fosse hoje, ao COS – de Costume, Fantasia –, viria, o Play, de atuar, interpretar, e assim contratariam princesas Cosplay.

Não apenas fantasiadas, mas impregnadas e empoderadas nos olhares, caminhares e falares, de um comportamento semelhante às princesas originais.

Tenho pena de Papai Noel. Nunca passou de um Cos meia-boca. Quando do primeiro aniversário da Isabella contrataram Barney. Apenas COS, sem o Play. Era um homem estranho, com indisfarçável sobrepeso. Um Barney Gordão!

As crianças recusavam-se a sair do carro e entrar na festa. Pagaram o Barney e pediram, educadamente que fosse embora, caso contrário, teriam que cancelar a festa.

E assim Cosplay virou um big business. Um big business de dezenas de milhares de pequenas empresas com seus milhares de atores amadores que se fantasiam e vivem os personagens.

Dentre as muitas empresas, uma Joystick que representa mais de 150 cosplayers. O Brasil Game Show, maior feira de games da América Latina tem um espaço específico onde se exibem e concorrem os cosplayers. A Central Cosplay hoje mantém um casting fixo de 10 cosplayers – Homem Aranha, Batman, Arlequina – que protagonizam mediante cachês entre R$ 400 e R$ 800.

E em todos os meses de dezembro, no Comi Con que se realiza em São Paulo desde 2014, e já é o terceiro maior do mundo, com atrações locais e internacionais, durante 3 dias torna-se na maior passarela de cada ano para o desfile de centenas de Cosplayers.

Tirando as componentes de business e do quanto a atividade cosplay agrega ao mix promocional às empresas, e neste final, nos vem a pergunta que deixamos com vocês. Será que cada um de nós, a maior parte do tempo, para fugir das encrencas, constrangimentos, chatos em geral, não acaba transformando-se em cosplays de nós mesmos? Desconfio que sim…

É isso amigos. Cosplaying sempre que necessário e na falta de melhor alternativa.

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Game Education

Post anterior

Ame Digital lança game show

Próximo post