LandmarketingMadiaMM

CNN Brasil e MRV

0

Fernando Pessoa, dizia, “O homem é do tamanho de seu sonho”, ou, “sem a loucura que é o homem…”.

E assim, e dando asas a sua componente de quase loucura, o empresário de maior sucesso dos dias de hoje do mercado imobiliário brasileiro subiu no mais alto trampolim, e saltou em direção a uma piscina supostamente com água, mas onde desapareceram sob o olhar de todos, importantes e tradicionais players, nos últimos anos.

Exalando coragem e determinação, a semelhança de um Jeff Bezos que comprou o The Washington Post, decidiu encarar o maior dos desafios da atualidade, e lança, agora, nos próximos dias, a CNN Brasil. Não precisava.

Já está na relação dos bilionários brasileiros, tem um banco de sucesso, é o dono da MRV – líder absoluta no território do Minha Casa Minha Vida, imóveis populares, sem nenhum concorrente mordendo os calcanhares e muito menos visível a centenas de quilômetros de distância, mas, o bicho carpinteiro do empreendedorismo falou mais alto, a vida estava passando e ficando monótona, e Rubens Menin decidiu agregar doses substanciais de emoção a sua vida.

Em matéria recente no Estadão, Menin explicou e esclareceu seu aparente delírio empresarial: “Era uma obrigação. Temos que mudar a cultura do brasileiro e que é muito para dentro, introspectivo… Parece que tem vergonha de participar, de dar opinião… Chegou a hora do brasileiro botar a cabeça para fora, participar, dar opinião… Precisamos unir o país… Nenhum país tornou-se potência mundial sem união nacional… A CNN Brasil nasce com esse propósito. Pautar as discussões sobre e em nosso país…”.

E, na sequência, detalhou seu sonho… “Queremos fazer uma boa imprensa. A imprensa pode ser opinativa, não existe nada de errado nisso. Mas, jamais distorcer os fatos. Teremos uma grade semelhante a CNN americana mais tropicalizada. Queremos ser construtivos dentro dos melhores princípios da ética e da moral…”.

E, como diria Fellini, La Nave Vá… Até onde? Com um Dom Quixote no leme, e seus 400 jornalistas marinheiros. Dentre outros, e como principal âncora, William Waak.

O que eu acho? Dificílimo, complicado, bonito, épico, histórico, inspirador, patético. Chances de sucesso próximas de zero. E ainda, pela característica do novo negócio, possibilidades grandes de contaminar os demais negócios de Menin, todos de grande sucesso.

Tudo o que certamente conseguirá é atenuar um pouco as terríveis dores que acometem a imprensa do país, no curto prazo. E levar algum alento aos sobreviventes… Mais combalidos, debilitados, moribundos, quase todos.

Mais adiante, o naufrágio é a maior probabilidade. Tomara, mas tomara mesmo que eu esteja completamente errado, e que aconteça o que aos meus olhos, hoje, parece um milagre impossível.

Boa sorte, CNN Brasil. Mais que torcer, vou rezar por vocês.

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

O risco de grandes apostas

Post anterior

Bold anuncia conquista de Docol

Próximo post