ComunicaçãoCotidianoMadiaMMPolíticaTendência

Bolsonaro, Dória, Covid-19 e solidão

0

Os três primeiros nomes do título deste texto nunca estiveram tão em alta, não é? Seja por questões políticas, de saúde, opinião, certezas ou incertezas, esse trio tem ocupado a boca e cabeça dos habitantes do planeta Brasil – você pode substituir o Dória pelo seu prefeito/governador correspondente.

Agora, um tema que poucas vezes alguém ousa falar, pelo menos com coerência e humanidade, é a solidão que toda essa bagunça causa.

Há semanas, somos convocados para algo que brasileiros não estão acostumados. Diferentemente de países que já enfrentaram guerras, apenas vimos de longe, participando como coadjuvantes ou nem isso. A novidade citada aqui refere-se ao pedido de isolamento, já que estamos calejados de combater doenças graves e até contagiosas.

Volume de informações

Mas, esse pedido de isolamento, que resulta, por consequência, no afastamento de nossos pais, avós e filhos, é algo que toca fundo. A cabeça começa a pensar mil e uma besteiras sobre tudo o que estamos vendo; amplificado pelo volume de informações que consumimos pela falta de novidade, aí, começam a ser ativadas sensações de ansiedade, nervosismo e agonia.

No meio de tudo, ainda tem o tema predileto das duas figuras “humanas” que ilustram o título desse texto: a economia.

Incertezas sobre emprego, negócios, prazos, contratos, documentos, investimentos e burocracias… Tudo que nos deixa ainda mais nervosos e com medo. Mais um ponto na tabela dos sentimentos ruins. Mais um ponto para ampliar nossa solidão.

Como se tudo isso não fosse suficiente, a internet, que seria nosso principal aliado nesse combate, se transforma em um mar de ódio e uma quantidade imensa de informações desnecessárias e maldosas, sempre evidenciando que vivemos em uma bolha ainda mais solitária e que exige de nós, força de vontade para encontrar caminhos positivos.

Covid-19: solitude?

Aqui entra a parte da ajuda que nós do portal colocamos para você na primeira parte do texto. Segundo Karnal, professor, escritor e quase um filósofo dos tempos modernos, precisamos romper a barreira imposta pelos algoritmos de nossas bolhas e encontrar passatempos agregadores para que a nossa solidão se transforme em solitude.

Não sei vocês, mas precisamos do dicionário nessa: solitude é o estado de privacidade de uma pessoa, não significando, propriamente, estado de solidão. Pode representar o isolamento e a reclusão, voluntários ou impostos, porém não diretamente associados a sofrimento. Uma distinção foi feita entre solitude e solidão.

Então, para acabar com a solidão, e transformá-la em algo positivo, devemos ocupar nossas mentes para não darmos brechas para as tabelas de sentimentos ruins.

Por isso, depois desse texto imenso que quase beirou um livro de autoajuda, desculpem-nos por isso, segue abaixo excelentes lugares/aplicativos/plataformas on-line para você expandir seus horizontes e ajudar nesse período:

Zoom

Aplicativo famoso por realizar videoconferências – você pode juntar a família e fazer a sua própria reunião familiar. Sem brigar, pois o momento requer união (mesmo que remotamente).

Plataforma Perennials

Aqui, você pode aproveitar seu tempo para se informar e receber conteúdo de qualidade. Essa plataforma está com três meses de gratuidade durante o período de isolamento, os assuntos abordados pelos mentores podem te ajudar em conhecimentos em economia e pautas que giram em torno disso.

YouTube

Expanda sua mente e, depois de ver aquela sua live de “sofrência”, busque por temas divertidos e por pessoas que te confortem.

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Aplicativos registram aumento de downloads e tempo médio de utilização durante quarentena

Post anterior

Jogadores da RED Canids Kalunga fazem live de 24 horas para ajudar entidades de saúde

Próximo post