Tecnologia

Automatização de processos será uma das tecnologias mais usadas das empresas em 2020

0

Apontada como uma das ferramentas que mais ganhará espaço dentro das companhias, a Robotic Process Automation (RPA) foi criada com objetivo de automatizar diversas tarefas manuais repetitivas e substituí-las por “robôs”. Esse mecanismo utiliza inteligência artificial e machine learning (aprendizado de máquina, em tradução livre), para “aprender” com diversos sistemas digitais, de forma a simular as ações realizadas por pessoas. O RPA permite que as empresas automatizem tarefas, simplifiquem processos, aumentem a produtividade dos funcionários com mais eficiência, além de fornecerem experiências satisfatórias ao cliente.

A Finnet – empresa de tecnologia que desenvolve soluções para gestão e automação financeira – possui uma unidade chamada Painel Fornecedor, que trabalha com antecipação de recebíveis e outros produtos que unem o viés tecnológico e financeiro. Felipe Maramarque, head da solução Painel Fornecedor da Finnet, listou as tecnologias que empregam o RPA que serão as mais utilizadas pelas empresas em 2020. Para ele, a transformação digital impulsionará o surgimento de novas fintechs que trarão melhorias na cadeia produtiva, trazendo maior agilidade e desburocratização nos processos, fornecendo uma resposta mais rápida ao mercado e sua necessidade.

“Esse formato de negócio é uma tendência do mercado que veio para ficar”, diz, Maramarque. “Temos muitas referências nos Estados Unidos, mas o Brasil tem surpreendido com relação ao número de fintechs. Acredito que o nosso País está se tornando uma referência e uma futura potência para surgimento de novos “unicórnios”, explica.

No segmento de pequenas e médias empresas, Maramarque apontou a criação de aplicativos como um dos impulsionadores de crescimento destas companhias. Para ele, os APPs já tomaram um espaço bem importante no mercado e ganharão mais força nesse ano com mais inovações que otimizam e se adaptam a necessidade de cada cliente.

Em um momento de retomada e crescimento econômico, ter crédito e poder de negociação é fundamental para o progresso e desenvolvimento das empresas e a antecipação de recebíveis é um forte aliado para prover a expansão.

“Há um tempo, não muito distante, os tomadores de decisão enxergavam a antecipação somente como uma ferramenta para recompor o fluxo de caixa” explica.

Segundo o executivo, ao utilizar esta ferramenta de antecipação, as empresas trazem liquidez para dentro do caixa, utilizando suas vendas a prazo para receber à vista. “Esse fator colabora na melhoria de alguns aspectos como maior fluidez ao fluxo de caixa, melhora da saúde financeira, quantidade de recurso disponível para expandir o negócio, dinheiro em caixa para aproveitar oportunidades de mercado, além da possibilidade de conceder maior prazo aos seus clientes oferecendo melhores condições de pagamento”, finaliza Maramarque.

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Morre Jack Welch, ex-presidente da GE, aos 84 anos

Post anterior

Diário de um Consultor de Empresas – 03/03/2020

Próximo post