LandmarketingMadiaMM

Amazon Brasil – O terceiro tempo

0

No dia 21 de agosto de 2014, sem pompas nem circunstâncias, a Amazon disse Bom-dia ao Brasil e aos brasileiros. Chegou tímida, silenciosa, sem maiores barulhos e sem provocar constrangimentos. A concorrência incomodou-se, mas, diante, da inexpressiva chegada, tocou a vida e seguiu em frente. Como um dia começou nos Estados Unidos, julho de 1994, em Seattle, apenas vendendo livros.

O segundo tempo começa no dia 18 de outubro de 2017, quando informa ao mercado que além de livros passa a vender quase tudo. Muito especialmente eletroeletrônicos e produtos de informática. Um susto. A concorrência monitorou incessantemente durante sessenta dias, mas, depois, aquietou-se e seguiu adiante.

No ano de 2005, nos Estados Unidos, a Amazon lançou a Amazon Prime. Por uma anuidade de US$ 79, garantia aos americanos frete grátis na entrega de suas compras. Considerando as características do Brasil, e a precariedade de nosso sistema de logística comparado aos Estados Unidos, os concorrentes tinham certeza absoluta que a Amazon jamais cometeria semelhante ousadia. Cometeu! E dobrou.

No dia 10 de setembro de 2019, a Amazon Prime chegou ao Brasil mudando para sempre o comércio eletrônico e, ainda, todas as plataformas de streaming – de vídeos, de música, de games. Curto e grosso, a Amazon, com a versão Prime, Ferrou!.

Baixou o sarrafo quase ao chão – R$ 9,90 por mês – para todos os serviços de streaming mais frete grátis, infernizando e levando à loucura seus concorrentes. Vamos aos números meses depois.

Em relatório publicado pelo BTG Pactual a informação. Mercado Livre e Americanas foram os Marketplaces mais afetados pelo Amazon Prime. Perderam milhares de visitantes para a Amazon.

Naquele momento, e em número de visitantes mensais a Amazon Brasil já rivalizava com a até então campeã, a Magalu. Dos 33,5 milhões de visitas por mês que registrava antes dos eletrônicos a Amazon saltou para 47 milhões. E diante do lançamento do Amazon Prime chegou nos 50 milhões.

Tom Jobim dizia que o Brasil não é para principiantes. Depois da chegada da Amazon, e do início de seu terceiro tempo ou movimento, baixando o sarrafo para R$ 9,90 e com o Amazon Prime, o comércio eletrônico brasileiro nunca mais será o mesmo, e exclusivamente para varejos modernos, tecnologicamente bem resolvidos, e que se tornem relevantes por suas práticas de Branding.

O Brasil digital antes da Amazon era um, e agora, depois da Amazon Full, outro. Completamente diferente, melhor, e com o sarrafo quase colado ao chão. Para a alegria nossa, mercado, e para desespero de todos os demais concorrentes.

Os que por aqui já se encontram, e para os que estão chegando agora em novembro, a Disney+.

 

 

Quer receber nossa Newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Diário de um Consultor de Empresas – 09/09/2020

Post anterior

Ensino, diagnóstico certo, Remédio errado, ou, Perennials ou Efemerals, a escolha é Sua

Próximo post