Samsung apresenta exposição inédita com história da banda Nirvana em São Paulo

Exposição, que ficou seis anos em cartaz em Seattle, estreia 12 de setembro no Lounge Bienal, no Ibirapuera (foto: divulgação)

A exposição ‘Nirvana: Taking Punk to the Masses’, que já alcançou mais de 3 milhões de visitantes nos seis anos em que esteve em cartaz em Seattle, aterrissa no Brasil para compor o Samsung Rock Exhibition, série inteiramente dedicada às exposições de rock e cultura pop, patrocinada pela líder mundial em tecnologia em parceria do Ministério da Cultura e com realização do Instituto Dançar.

Criada pela Dançar Marketing, com concepção de Pedro Bianco, a Samsung Rock Exhibition é uma plataforma completamente inédita no mercado do entretenimento e live marketing. Sendo a 1º série da América Latina, o projeto traz exposições exclusivas, nacionais e internacionais, que convidam o público a mergulhar no universo criativo da música, moda e de astros da cultura pop.

A Samsung Rock Exhibition estreou em 2015 com o pé direito trazendo a exposição de Jimi Hendrix. Até então inédita no Brasil, a exposição Hear My Train A Comin apresentou o período mais criativo do maior guitarrista de todos os tempos.

Neste ano de 2017, a Samsung Rock Exhibition estreou com a mostra ‘Nirvana: Taking Punk to the Masses’. A inédita exposição traz ao país a história da maior banda de grunge e mapeia toda a cena musical independente da costa oeste americana. Depois de uma bem-sucedida temporada no Rio de Janeiro, a mostra foi inaugurada nesta terça-feira (12) em São Paulo, no Lounge da Bienal (Parque Ibirapuera), onde fica até o dia 12 de dezembro.

Sob curadoria de Jacob McMurray, a exposição retrata parte da história da revolucionária banda, eternizada no Hall da Fama do Rock e também da cidade de Seattle, onde a banda ganhou o mundo e virou o epicentro cultural e musical da geração da década de 1990. Essa é a primeira vez que a exposição sai do The Museum of Pop Culture de Seattle (MoPOP) para ganhar outras regiões e a expectativa de público é alta, bem como a perspectiva dos fãs, que aguardam ansiosamente para regressar ao passado e entrar novamente na década das camisas de flanela.

São mais de 200 peças entre instrumentos icônicos, fotos, vídeos, depoimentos, álbuns, objetos pessoais, cartazes, desde a origem do grupo, em Aberdeen, às grandes turnês internacionais. A exposição retrata uma das bandas mais importantes formadas até hoje, duas décadas após sua dissolução, incluindo a cidade de Seattle, de onde ganhou o mundo. Símbolo da geração grunge, o grupo tem uma história que se confunde com o próprio movimento, porém conquistou merecido espaço na galeria dos grandes do rock.

News

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Comentário

Comentário