As empresas trabalham em colaboração para testar em campo novas tecnologias de processamento de sinal óptico, em canal de 5.500 quilômetros que atravessa o Atlântico (foto: reprodução/Nokia.com)

O crescimento do acesso do público a aplicações que demandam grande largura de banda para operar, caso dos vídeos e da realidade virtual, torna significativamente desafiador dar escala à infraestrutura existente. Para aumentar a capacidade da fibra submarina, Nokia e Facebook realizaram testes da nova tecnologia de modelagem por constelação probabilística (PCS) do Nokia Bell Labs. Os resultados mostraram um aumento de cerca de 2,5 vezes na capacidade de transmissão óptica em relação àquela estimada para o sistema, o que demonstrou a aplicabilidade da tecnologia sobre uma desafiadora e real rede de fibra óptica.

PCS, área de intensa pesquisa no Nokia Bell Labs, consiste em uma nova técnica que utiliza o formato de modulação de amplitude em quadratura “modelada” (‘shaped’ quadrature amplitude modulation, QAM) para fazer ajustes flexíveis na capacidade de transmissão, até os limites físicos de determinado canal de fibra óptica. O experimento, pioneiro em um canal submarino, foi concebido e planejado pelo Facebook, que se baseou na combinação de 64QM com compensação não-linear digital e lasers de tipo low-linewidth para atingir um recorde de eficiência espectral de 7.6 b/s/Hz, indicando o potencial para, no futuro, elevar o cabo para 32 Tb/s por fibra.

Testes de transmissão baseados na solução Nokia Photonic Service Engine 2 (PSE-2), disponível comercialmente, validaram a transmissão bem-sucedida de comprimentos de onda de 8-QAM que rodaram a 200 Gb/s e de comprimentos de onda de 16-QAM que rodaram a 250 Gb/s – a primeira do gênero, para uma transmissão transatlântica. Comprimentos de onda de 8-QAM a 200G sustentaram uma eficiência espectral de 4 b/s/Hz sem deixar de apresentar suficiente margem de performance para atender a uma operação comercial confiável.

Os resultados dos testes foram apresentados na Optical Fiber Communication Conference and Exhibition (OFC), entre 21 e 23 de março, em Los Angeles, Califórnia.

“O Facebook quer acelerar o ritmo da inovação e da adoção de tecnologias ópticas de geração futura. Os testes de campo com a Nokia demonstram que a tecnologia óptica e escalável PCS, combinada a fontes estreitas de largura de linha de laser, pode atingir capacidades extremamente próximas ao limite de Shannon. Tudo isso assegura que estamos maximizando nosso investimento em sistemas de cabos subaquáticos e que também continuamos a reduzir o custo por bit do transporte submarino”, afirma Dr. Stephen Grubb, Arquiteto de Rede Óptica Global do Facebook.

“É com muito entusiasmo que fizemos a parceria com o Facebook para promover o compromisso comum de acelerar a inovação em transmissão óptica. Com a demonstração de áreas promissoras da pesquisa do Nokia Bell Labs, como a dos PCS, assim como tecnologias coerentes disponíveis atualmente, desejamos traçar o caminho do futuro para a indústria, rumo a capacidades maiores, alcance mais amplo e maior flexibilidade de rede”, diz Sam Bucci, Diretor de Redes Ópticas da Nokia.

News

 

 

Quer receber nossa newsletter? Preencha o formulário abaixo:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Comentário

Comentário

Redação
A Redação é responsável pela curadoria de todo conteúdo veiculado no Portal Inteligemcia.