A ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), através de comunicado, reiterou a sua preocupação com a possível interferência na qualidade da transmissão de televisão, ocasionada pela banda larga móvel na faixa de 698 a 806MH. No texto a entidade admitiu a relevância de massificação da internet, mas ressaltou que a “TV aberta é – e continuará sendo – a mais importante plataforma eletrônica de comunicação de massa no Brasil”.

Confira o comunicado na Íntegra:

A televisão aberta brasileira é uma plataforma moderna, capaz de prover conteúdo de qualidade para receptores fixos e móveis, de forma aberta, livre e gratuita. E com cobertura em todo o país.

Com notória contribuição para o desenvolvimento econômico e social, a TV aberta é – e continuará sendo – a mais importante plataforma eletrônica de comunicação de massa no Brasil.

Estamos certos da relevância da massificação do acesso à internet por banda larga. Entretanto, esta não pode comprometer a cobertura da televisão aberta, que com ela não é incompatível.

Na audiência pública desta quarta-feira, 27/3, o setor da radiodifusão privada apresentou preocupações e comentários a fim de contribuir com o processo de discussão proposto pelo Ministério das Comunicações e realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações – ANATEL.

Reiteramos nossas principais preocupações, quais sejam, o replanejamento dos canais digitais e as condições de convivência entre a TV Digital e os serviços móveis de quarta geração.

Por fim, ratificamos nossa confiança no cumprimento das decisões do governo no sentido de garantir a proteção aos serviços de transmissão e retransmissão de televisão contra eventuais interferências, geradas pela banda larga móvel na faixa de 698 a 806MHz, e de permitir a manutenção da cobertura atual dos serviços de televisão no país.

 

Redação Adnews

Comentário

Comentário